Quando a cirurgia bariátrica é indicada?

Ao contrário do que muitos pensam, a cirurgia bariátrica não é um procedimento de estética, é muito mais questão de saúde do que só emagrecer. Hoje a cirurgia é indicada por dois critérios (definidos pelo Conselho Federal de Medicina): se a pessoa tiver um IMC (índice de massa corporal) maior que 40 kg/m² com ou sem comorbidades, esse valor referência pode ainda diminuir para 35 kg/m² dependendo da comorbidade.

Comorbidade tornou-se um termo muito comum durante a atual pandemia mundial de COVID-19, mas, basicamente, ele é um termo técnico que a área da saúde utiliza para se referir à situações em que alguém possui uma doença em conjunto com outra, no caso da autorização para a cirurgia bariátrica essa doença está diretamente ligada com a obesidade (por vezes, obesidade mórbida, aquela que possui risco de morte e é comum há pelo menos 13 milhões de brasileiros).

Ocorre que, alguns pacientes desistem de procurar o tratamento (principalmente o cirúrgico), pois têm a ideia de que só estão inclusas comorbidades mais tradicionais como pressão alta, diabetes, colesterol alto e outras. Mas a verdade é que possuem ao menos 25 comorbidades que são indicadas para a cirurgia bariátrica, ou seja, cada vez mais a cirurgia tem mudado a vida de mais e mais pessoas.

Você sabe quais são essas 25 comorbidades que são indicadas para bariátrica?
1. Diabetes tipo II;
2. Apneia do sono;
3. Hipertensão arterial (pressão alta);
4. Dislipidemia (colesterol e/ou triglicérides elevados);
5. Esteatose hepática (“Gordura no Fígado”);
6. Estigmatização social e depressão;
7. Doenças cardiovasculares incluindo doença arterial coronariana;
8. Infarto de miocárdio (IM);
9. Angina;
10. Insuficiência Cardíaca Congestiva (ICC);
11. Acidente vascular cerebral (mais conhecido como “AVC” ou “derrame”);
12. Fibrilação atrial;
13. Cardiomiopatia dilatada;
14.Cor pulmonale e síndrome de hipoventilação;
15. Asma grave não controlada;
16. Osteoartroses (muitos pacientes com dores de articulação como joelho);
17. Hérnia de disco;
18. Doença do refluxo gastroesofágico;
19. Colecistopatia calculosa (pedra na vesícula);
20. Pancreatites agudas de repetição (inflamação do pâncreas);
21. Incontinência urinária de esforço na mulher (perda de urina ao fazer força);
22. Infertilidade masculina e feminina;
23. Disfunção erétil;
24. Síndrome dos ovários policísticos;
25.Hipertensão intracraniana idiopática.

A cirurgia bariátrica age conforme a necessidade do paciente, por exemplo, é possível diminuir o estômago, alterar a absorção dos alimentos, mexer com a ansiedade, com a fome, tudo depende da mudança necessária no organismo do paciente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *